Efectos de China en la cantidad y calidad del empleo en América Latina: México, Perú, Chile y Brasil

EDITADO POR JOSE MANUEL SALAZAR-XIRINACHS; ENRIQUE DUSSEL PETERS; ARIEL C. ARMONY (ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO – OIT )

A relação da América Latina com a China mudou significativamente nas últimas décadas, uma vez que a presença e influência chinesas na região têm passado por profundas transformações que mudaram o perfil das interações entre o país asiático e os países da América Latina e Caribe. Nesse contexto, autores como Dussel Peters e Armony propuseram a resignificação da importância de estruturar e especializar a análise do atual relacionamento socioeconômico em pelo menos quatro áreas diferenciadas: comércio, financiamento, investimento estrangeiro direto e projetos de infraestrutura.

Nesse sentido, o documento visa apresentar a relevância quantitativa e qualitativa da China na geração de emprego na América Latina. Em 2017, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) publicou um primeiro passo nesse sentido. Agora, esse esforço inicial é complementado pelo aprofundamento dos diversos temas levantados e pelo exame de quatro casos nacionais: Brasil, Chile, México e Peru.

Acesse a Publicação