O tratamento da China como economia de mercado após 2016: Análise comparada Brasil, Estados Unidos e União Europeia

Confederação Nacional da Indústria (CNI)

O tratamento dado à China em medidas antidumping, após mudanças previstas nas regras da Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2016, é tema recorrente e controverso entre as principais economias. A China é alvo de grande parte das medidas antidumping aplicadas pelo Brasil, assim como das investigações na área de defesa comercial em curso no país.

Dessa forma, mudanças nas regras da OMC afetam, também, as estratégias do Brasil para tratar de práticas desleais de comércio em relação a economias que não são consideradas de mercado. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) elaborou o presente estudo a fim de contribuir com o debate.

O objetivo é comparar como os Estados Unidos, a União Europeia e o Brasil tratam economias não de mercado em apurações antidumping, assim como apresentar recomendações ao governo brasileiro sobre o assunto.

Garantir um comércio justo, requisito importante do crescimento sustentado da economia, requer um olhar atento tanto do governo como da indústria brasileira sobre as investigações de práticas desleais nas relações comerciais externas.

Acesse a Publicação