China não é tão vulnerável quanto se pensa, diz economista da Bloomberg

Valor Econômico | Em uma conferência eletrônica organizada pelo Conselho Empresarial Brasil-China, Orlik apontou que há “um consistente tom de pessimismo nas análises ocidentais” sobre o futuro da China.

Os principais argumentos são de que um crescimento anual de 10% é de fato impressionante, mas que, abaixo da superfície, haveria uma bolha. “É tudo financiado por dívidas e há um enorme e ineficiente setor estatal. Ainda assim, depois de mais de uma década, a China continua crescendo e a riqueza do país continua em expansão, assim como a influência chinesa”, diz Orlik.

Uma das vulnerabilidades mais debatidas é a do setor financeiro chinês. “Do lado do tomador de crédito, vemos imobiliárias construindo cidades-fantasma e governos locais construindo pontes para lugar nenhum. Do lado dos bancos, vemos o rápido crescimento do ‘shadow banking’, que são instituições crescendo a um ritmo insustentável ao ignorar a legislação do setor. Somando os fatores, vemos uma inevitável crise financeira. Mas esta é apenas uma parte da história”.

Acesse a Publicação