Pós-pandemia terá uma China mais introspectiva, mas com oportunidades

Acesse a Publicação

A pandemia e suas consequências econômicas trazem novos desafios a um mundo marcado pelo adensamento da disputa entre Estados Unidos e China. Em meio à crise sanitária e ao aumento da rivalidade entre dois parceiros fundamentais em sua política externa, o Brasil não deve escolher lados, mas pensar em uma política estratégica que atenda ao interesse nacional. Nesse contexto de turbulências, a 26ª edição da Carta Brasil-China conta com artigos de especialistas que oferecem análises sobre diversos aspectos relevantes a serem considerados por empresários, governo, academia e sociedade brasileira. Boa leitura!

Conteúdo dessa edição:

Na disputa EUA-China, Brasil deve olhar para o interesse nacional e não escolher “lados”
Embaixador Luiz Augusto de Castro Neves, Presidente do CEBC e ex-embaixador do Brasil na China

Pós-pandemia terá uma China mais introspectiva, mas com oportunidades
Embaixador Marcos Caramuru de Paiva, sócio e gestor da KEMU Consultoria ex-embaixador do Brasil na China

Estimulada pela eleição, retórica da Guerra Fria ofusca realidade da relação EUA-China
Cláudia Trevisan, Diretora Executiva do CEBC

“Não podemos prescindir do que a China tem a oferecer ao Brasil”
Entrevista com Roberto Milani, Vice-Presidente do Grupo Comexport

Estado, tecnologia e comitês de moradores foram fundamentais no combate à Covid-19 na China
Germano Corrêa, Diplomata no Setor Político da Embaixada do Brasil em Pequim

Em meio à pandemia, China amplia participação no comércio exterior brasileiro
Tulio Cariello, Coordenador de Análise e Pesquisa do CEBC