sexta-feira, fevereiro 21, 2020

Novos destinos da inovação no agro

Universidades do Brasil e da China avançam em pesquisa e cooperação Marcos Jank | A Esalq (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”), da USP, e a CAU (China Agricultural University) lançaram em dezembro, na ilha de Hainan, China, o Centro...
Correio Braziliense | O coordenador do CEBC afirma que, historicamente, os EUA dominavam os investimentos na América Latina, mas a prioridade da sua política externa, hoje, está relacionada ao combate ao terror e a questões geopolíticas na Ásia, como...
Zero Hora (RS) | Creio que o grande problema é, na verdade, a assimetria de poder entre os dois países. A China é quem dita o compasso das relações com o Brasil, que, por sua vez, deveria ter um papel...
Reuters | O presidente em exercício Hamilton Mourão disse nesta segunda-feira que o presidente chinês, Xi Jinping, visitará o Brasil em novembro, à medida que os dois países buscam fortalecer os laços políticos e econômicos em tempos...
O Globo | Críticas do presidente durante a campanha incomodaram, mas ida do vice-presidente ao país serviu para relaxar tensão e reabrir diálogo A visita do vice-presidente Hamilton Mourão àChina , concluída nesta sexta-feira, parece ter dissipado...
Folha de S. Paulo | Custos competitivos e infraestrutura eficaz são alguns dos fatores que tornam o investimento no país atraente para as brasileiras, segundo Luiz Augusto de Castro Neves, presidente do CEBC (Conselho Empresarial Brasil-China).
Jornal do Brasil | Em cinco encontros, o economista Roberto Fendt discutirá o papel da China no cenário mundial e os avanços recentes em questões ligadas à política e à economia. O curso vai traçar um panorama histórico da economia chinesa,...
Senado Federal | Na análise do o ex-embaixador do Brasil na China, Luiz Augusto Castro Neves, os chineses foram os primeiros a perceber o processo de globalização e desde a abertura econômica promovida pelo antigo líder Deng Xiaoping, o objetivo...
Jornal do Comércio (RS) | Tulio Cariello, coordenador de pesquisas do CEBC, acredita que não há mudança significativa para a relação sino-brasileira no curto prazo. ‘A China deve continuar importando basicamente produtos do agronegócio, recursos naturais e petróleo, que são...
Xinhua | A China é o tema do primeiro Curso de Inverno do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), que se realiza na sede do instituto em parceria com o Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC) no Rio de Janeiro, nos...